VALINHOS TEM BAIXA TAXA DE LETALIDADE POR COVID-19

VALINHOS TEM BAIXA TAXA DE LETALIDADE POR COVID-19
Cidade tinha até esta quinta-feira seis óbitos pela doença

Levantamento feito por este Jornal de Valinhos, com base nos boletins epidemiológicos da covid-19 (novo coronavírus) divulgados pelas 20 prefeituras da RMC (Região Metropolitana de Campinas) entre estas quarta, dia 20, e quinta-feira, dia 21, mostra que a taxa de letalidade da doença na região está abaixo da média nacional. A taxa de letalidade leva em conta o número de mortes em relação ao total de casos positivos da covid-19. O índice de letalidade na RMC é de 4,6%, com 99 óbitos para 2.152 casos confirmados, abaixo da taxa nacional, que era de 6,46% até quarta-feira (os números atualizados do Brasil não tinham sido divulgados até as 19 horas desta quinta-feira). E Valinhos, que apresentava até esta quinta-feira, uma taxa de letalidade de 5,40%, com seis óbitos para 111 casos, também fica abaixo do índice nacional.

Entre as cidades da região, há oito municípios que não registram mortes pela covid-19. São eles: Artur Nogueira (12 casos), Cosmópolis (14 casos), Engenheiro Coelho (10 casos), Holambra (12 casos), Jaguariúna (42 casos), Morungaba (17 casos), Pedreira, (12 casos) e Santo Antonio de Posse (20 casos). Paulínia e Vinhedo também se destacam com baixíssima taxa, com 1,28% (78 casos e uma morte) e 1,42% (70 casos e uma morte), respectivamente.

 

PREOCUPANTES

Entre as cidades com maiores taxas de letalidade, inclusive muito acima da média nacional, estão Hortolândia, onde a covid-19 apresenta 10,56% de letalidade, com 13 mortes para 123 casos, seguida de Indaiatuba, com 8,37 e 16 mortes para 191 casos positivos. Na terceira posição aparece Nova Odessa, com taxa de letalidade de 8,33%, com dois óbitos e 24 casos confirmados, seguida de Monte Mor, com 7,4% e duas mortes para 27 casos positivos. Americana, com 5,19% (777 casos e quatro óbitos), Santa Bárbara d’Oeste, com taxa de 5,12% (39 casos e dois óbitos), Itatiba, com 5% (60 casos e três óbitos), Campinas, com 4,1% (1.72 casos e 44 mortes) e Sumaré, com 3,54% (141 casos e cinco mortes), fecham as estatísticas da doença na RMC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco! whatsapp
Rolar para cima